Loading

Santos Casais da Ferreira

policiario2016@gmail.com

Poemas do Catano

I -Telhados


Telhados de casas de madeira

escondem ambições mártires

tesouros desoladas na salgadeira

inimigos mortais faquires




II - Estação


estação de serviço gasolina

café cerveja jornal ataque dos bandidos

despiu-se devagar a bailarina

linda presenteando-nos com raros tecidos

das longínquas paragens

da sede plácida

e suas miragens fugitivas e débeis



III - O Motor


o motor não tinha parado

no desespero premiado

a energia caía

ao som da música de fundo

fora de alcance

depravada ambição

breve relance

imbecilmente condicionada

sitiada

pistola descarregada

sordidez no focinho de cão



IV - Sem tranquilidade


fim de viagem

esplendor em frente

vista bela regalada

escória da agiotagem

espoliadora do nada

do engano multiplicado

permanente

espalhafatado

protegido pelo injusto e indecente.




V - A ilha


A ilha está

no registo predial

fábrica funesta

de ameaças e lodaçal

medo os vermes atacaram

com a cobardia habitual

chafurdaram

pertinazes

ricos poderosos

contumazes

fotografados e mal cheirosos.


Santos Casais da Ferreira